Início Eco SC Ciclistas homenageiam o meio ambiente

Ciclistas homenageiam o meio ambiente

57
0
COMPARTILHAR

Depois de dois adiamentos devido às contínuas chuvas recentes, o Sol finalmente “deu o ar da graça” e assegurou a realização da Pedalada Ecológica na tarde deste sábado, 1º de julho. Mais de 100 pessoas participaram desta que foi a terceira edição do evento e teve como roteiro o trecho entre a Praça Joca Neves e a sede do Parque Natural Municipal João José Theodoro da Costa Neto, num total de oito quilômetros (ida) completados em aproximadamente 40 minutos.

O grupo partiu da Praça, passando pelas avenidas Belizario Ramos (Carahá) e Duque de Caxias até o viaduto, seguindo pela marginal da BR-282 até chegar ao bairro São Paulo. Antes do início, os ciclistas fizeram alongamentos ao som de música alta, para evitar dores posteriormente à pedalada.

A Pedalada é promovida pela Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente. “Esta é uma forma de levar o lageano a conhecer aquela unidade de conservação e para que aproveite mais este espaço disponível em outros momentos”, pontua a bióloga da Secretaria, Michelle Pelozato.

A Pedalada integra a programação alusiva ao Mês do Meio Ambiente, sendo que o Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado em 5 de junho, porém, a programação especial iniciou já em 27 de maio, por ser o Dia Nacional da Mata Atlântica, tema deste ano. O secretário de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Euclides Mecabô (Tchá Tchá), compareceu e foi um dos ciclistas. “Cronologicamente, as atividades se encerram hoje (sábado), mas algumas ações estarão em execução ao longo de maior período. O dia está espetacular, fenomenal. Acabamos postergando algumas ações por conta das chuvas, mas o Mês do Meio Ambiente foi coroado e cumpriu o imaginado. A questão da educação ambiental é uma preocupação recorrente, manifestada permanentemente pelo prefeito Antonio Ceron.”

O trabalho com enfoque na ecologia será tocado com formato diferenciado ao longo da administração municipal para que o assunto esteja inserido na sociedade de modo perdurável. “Temos o compromisso de tornar Lages a cidade mais limpa e florida do Estado. Necessitamos da colaboração dos moradores e tudo poderá transparecer o nosso respeito pelo meio ambiente. Devemos deixar um planeta mais organizado para nossas futuras gerações, através do desprendimento e comprometimento de hoje”, justifica Tchá Tchá.

Secretários de pastas municipais e outros servidores se engajaram à causa e estiveram presentes no evento. Agentes da Diretoria de Trânsito (Diretran) deram suporte para garantir a segurança dos ciclistas. Os parceiros na realização da Pedalada são Secretaria Municipal da Educação; Polícia Militar Ambiental; Corpo de Bombeiros; Consórcio Intermunicipal de Saneamento Básico, Meio Ambiente, Atenção à Sanidade dos Produtos de Origem Agropecuária e Segurança Alimentar (Cisama); Comitê Canoas; Instituto Federal de Santa Catarina (Ifsc), Instituto José Paschoal Baggio (IJPB), Instituto Vianei e Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat), entre outros.

 

Brindes e surpresa

Houve, na chegada ao Parque Natural, sorteio de brindes: bicicletas, camisetas e squeeze. E ainda, sorteio de caramanholas (cantis), reparos de pneus, manoplas, luvas, entre outros acessórios, disponibilizados pela Cycles Beto. Água e frutas (banana e maçã) forma distribuídos aos ciclistas. Os participantes foram agraciados com uma surpresa, a peça teatral “Mata Atlântica dos Campos de Cima da Serra”, pelos atores Marcio e Denise, do Teatro Circula-dô, em que são abordadas a fauna e flora da região serrana.

A “galera” que pedala

O agricultor Diego Machado Lima, 34 anos, deu o maior exemplo da tarde. Ele mora no bairro São Francisco e com a filha na garupa da bicicleta, Sofia, de cinco anos, percorreu todo o trajeto do seu bairro até a Joca Neves, de onde partiu com o grupo da Pedalada. A bike é sua companheira de trabalho. “Está comigo tanto pra passeio quanto pra serviço. Eu adoro. Faço a venda das hortaliças de porta em porta, de rua em rua, todos os dias. Os produtos vão na caixa em cima da bicicleta”, conta o rapaz, que soube do evento por uma emissora de rádio. “As pessoas deveriam desenvolver algum tipo de esporte, não só pedalada. Eu também pratico corrida, duas vezes por semana.”

O casal de namorados – estudante Lavinia Oliveira e o operador de máquinas, Ricardo Prestes – estrearam na Pedalada. Segundo eles, o ciclismo tem sido um hábito ultimamente e eventos como o deste final de semana motivam as pessoas. “A prefeitura ter conseguido definir este calendário e contribui para que a gente reserve um espaço para a prática do esporte. Sobretudo é uma manifestação de preocupação com a natureza, pois quanto mais bicicletas por aí, menos poluição dos carros no dia a dia.”

E ele ainda ressalta: “A bicicleta serve para tudo. Para trabalhar, estudar, passear, faz bem para a saúde e sem falar que é uma diversão. Poder pedalar e admirar as paisagens da natureza é bem legal.” Lavinia, que durante a semana tem a agenda bem cheia, com ciclismo, corrida e zumba, acrescenta: “Com companhia é ainda melhor. E o frio não nos intimida.”

Sobre o trajeto, Ricardo não se assustou e se demonstrou firme para os oito quilômetros. “É mole pra gente”, brinca. “De lá a gente vai dar mais uma volta, vamos estender o percurso”, completa ela, enfatizando a meta de ter uma saúde com melhor qualidade, mais disposição para as tarefas diárias e escapar do sedentarismo.

O funcionário público, Osni Antonio de Jesus, 54 anos, e o filho, o estudante Rafael, 17, decidiram fazer parte do grupo. “O dia amanheceu bonito pra gente aproveitar e pedalar. Não tenho este costume, é só de vez em quando nos finais de semana. Eu gosto e pedalo pra manter a forma e pela saúde.” A correria do cotidiano faz repensar os hábitos. “A prática de exercício é fundamental. Eu faço natação duas vezes por semana. Pedalo pra ir até a academia na Carahá. O quanto antes começarmos a criar a cultura de cuidar da saúde estaremos prevenindo futuros problemas. Todos devem pensar nisso”, analisa Rafael.

 

Atos paralelos

A agenda do Mês do Meio Ambiente foi composta por palestra com o especialista ambiental Lauro Bacca, concurso fotográfico sobre a Mata Atlântica, intervenções teatrais, Cinema Especial no Centro de Educação Ambiental Ida Schmidt, plantio de árvores nativas na cidade, oficina sobre as frutas da Mata Atlântica no Ifsc, oficina para professores junto ao Instituto José Paschoal Baggio (IJPB), Mostra Fotográfica na Câmara de Vereadores e premiação do concurso.

O teatro intitulado “Mata Atlântica dos Campos de Cima da Serra” continua sendo apresentado em Centros de Educação Infantil Municipal (Ceims), sendo que todas estas 83 instituições de ensino serão contempladas. O espetáculo iniciou em 27 de maio e seguirá até meados de agosto. O período de chuvas ocasionou a extensão da agenda.

 

O potencial que nem todos conhecem

Lages conta com o equivalente a oito mil vezes o campo de futebol do Estádio do Maracanã em extensão, de remanescentes da Mata Atlântica, o que corresponde à floresta ombrófila mista, onde há araucárias, além dos campos, como a Coxilha Rica. “Portanto, ainda temos um bioma muito bem conservado, o que aumenta a nossa responsabilidade para que incentivemos cada vez mais a conservação e façamos um trabalho de sensibilização para que o lageano conheça esse bioma e a fauna e a flora que habitam a nossa Serra”, argumenta a bióloga Michelle Pelozato.

 

O Plano de Conservação e Recuperação

Lages está elaborando o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, inédito no município, e será um dos poucos municípios de Santa Catarina a contar com o documento. A sua formação está sendo realizada pela Prefeitura de Lages e a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), de Atalanta, no Vale do Itajaí. A previsão de entrega é para setembro deste ano, contendo todas as remanescentes e os trabalhos a serem efetivados nos próximos anos.

As metas são estabelecidas para 15 a 20 anos e há renovação a cada quatro. “Faz dois anos que viemos nos reunindo com a comunidade para saber qual espaço melhor para se ter um parque natural, um parque urbano ou uma unidade de conservação. A população então, a partir do Plano, poderá estar mobilizada e envolvida para que se atinjam as metas e haja conservação do bioma”, esclarece Michelle.

 

Sest/Senat: 200 camisetas

 

O Sest/Senat mais uma vez foi parceiro da Pedalada e colaborou cedendo a tenda de distribuição dos números para o sorteio de brindes e disponibilizou 200 camisetas personalizadas do evento. A coordenadora de eventos, Rosangela Matos, explica que o órgão corrobora com a ideia do Município, em estimular e convidar a população a participar espontaneamente de atividades físicas que resultam em respeito ao meio ambiente. “O Sest/Senat tem uma preocupação grande com a comunidade. Por isso trabalhamos com diversos eventos durante o ano todo. Somos apoiadores de iniciativas relacionadas à saúde em sua totalidade.” No dia 24 de setembro o Sest/Senat irá promover o seu Circuito Ciclístico. Será um passeio para 500 pessoas e o trâmite está em processo de licitação.

 

Fotos: Toninho Vieira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here